Etiquetas

, , ,

Preâmbulo:

Teve tanto tempo sem escrever pelas tantas ocupações que eu tive nos últimos meses. O trabalho e os meus compromissos me ocuparam tudo o tempo, apesar de terem tomado o meu desejo de escrever e expressar tudo o que penso.

Desta vez, vou escrever sobre algo relacionado com um tema que eu tinha escrito há quase um ano, e é o tema de “halloween”, mas desta vez será em uma abordagem diferente.

Reflexão:

E se você olhar para a tradução desta palavra (do Inglês), é o Dia das Bruxas. E eu me pergunto, por que ” os cristãos” comemoram este dia?

Muitos fazem isso por ignorância, porque não conhecemos realmente a nossa Revelação Cristã, outras pessoas fazem isso pela moda, porque em algum lugar também nós devemos celebrá-lo, outros o fazem porque acreditam em bruxas e aqueles que realmente servem, não é o verdadeiro Senhor.

Daí vem o título deste artigo “O Senhor é o único…”, como diz o livro de Deuteronômio na Bíblia:

Ouve, ó Israel: o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma e com toda a tua força. Registre em seu coração estas palavras que hoje te ordeno. Ensina-lhes seus filhos, e falar deles quando você se senta em casa e quando você viaja, quando se deitar e quando se levantar. Amarrá-los às suas mãos como um sinal, e é como um selo em sua testa. Escrevê-los na porta de sua casa e em seus portas… (Dt 6, 4-9)

Não há outro deus além d’Ele, e somente a Ele devemos adorar e oferecer culto. Deus nos amou primeiro. O amor do único Deus é lembrado na primeira das “dez palavras”, onde a resposta é explícito que devemos e estamos chamados a dá-lhe. (Cf CCC # 2083b).

Esse amor que nos foi dado no início de criar o mundo, e em todas as partes das Escrituras nos mostra um Deus amoroso, um Deus que repreende, mas não vingativo, um Deus que ensina e corrige, mas não pune, um Deus que está sempre olhando para o seu povo rebelde, um Deus que queria ficar para sempre em meio de nós através de um pacto sem fim (na Eucaristia) (cf Mt 26, 26-28, Mc 14, 22-24, Lucas 22 , 17-20), um Deus que decidiu dar a sua vida na cruz por cada um de nós (cf Mt 26 -27, Mc 14-15, Lc 22-23, Jo 18-19).

Mas, como nós respondemos a esse amor incondicional? Jesus resumiu os deveres do homem para com Deus com estas palavras: “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma e com toda tua mente” (cf CCC # 2083). Essas tarefas estão no livro de Êxodo:

“Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto. Eu sou o Senhor, teu Deus, um Deus zeloso que vingo a iniqüidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos daqueles que me odeiam, mas uso de misericórdia até a milésima geração com aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. “Não pronunciarás o nome de Javé, teu Deus, em prova de falsidade, porque o Senhor não deixa impune aquele que pronuncia o seu nome em favor do erro. Lembra-te de santificar o dia de sábado. Trabalharás durante seis dias, e farás toda a tua obra. Mas no sétimo dia, que é um repouso em honra do Senhor, teu Deus, não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem teu servo, nem tua serva, nem teu animal, nem o estrangeiro que está dentro de teus muros. Porque em seis dias o Senhor fez o céu, a terra, o mar e tudo o que contêm, e repousou no sétimo dia; e por isso. o Senhor abençoou o dia de sábado e o consagrou. Honra teu pai e tua mãe, para que teus dias se prolonguem sobre a terra que te dá o Senhor, teu Deus. Não matarás. Não cometerás adultério. Não furtarás. Não levantarás falso testemunho contra teu próximo. Não cobiçarás a casa do teu próximo; não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seu escravo, nem sua escrava, nem seu boi, nem seu jumento, nem nada do que lhe pertence.”… (Ex 20, 2-17)

Estas palavras levam à convivência com Deus e com o nosso irmão harmoniosamente. Embora Jesus nos mostra uma maneira simples de entender tudo isso, apresenta-nos um plano de vida e salvação:

Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós…. (Mt 5, 3-12)

Desta forma simples nós damos resposta ao amor incondicional de Deus, com este modo de vida simples, não só damos uma resposta de amor a Deus, mas seguindo estes passos têm garantido o Reino dos Céus. Reino de paz e amor, Reino que pertence a Ele e onde viveremos verdadeiramente feliz.

E, apesar que garantimos que há um só Deus, a quem adoramos, nós realmente não fazemos porque endeusamos qualquer coisa, pomos como deus entre nós e o único Deus as coisas que não têm significado real, as coisas materiais, a coisas deste mundo, e não só coisas, também as pessoas.

Adeus:

Portanto, sempre olhar para o único Deus e Senhor, que habita entre nós, o único Deus verdadeiro de amor e paz. Não ponhamos nada nem ninguém entre Ele e nós, nos deixemos levadar pela sua Palavra.

Deus e a Virgem Maria sempre nos acompanhe neste importante trabalho, nos guie e nos encha de sabedoria, força e amor infinito.

Um forte abraço de amor e paz, por meio de Jesus Cristo para todos.

Anuncios